sexta-feira, 28 de novembro de 2008

O Homem a medida de todas as coisas?

Uma das frases mais conhecida de Protágoras, filósofo, nascido por volta de 481 a.C. é: “O Homem é a medida de todas as coisas, das coisas que são que são o que elas são, das coisas que não são que elas não são.”


Não temos muitos textos dele devido a uma frase (não esta) que colocou em dúvida os deuses gregos em uma de suas obras. Por isso, ele foi banido pelos atenienses e seus livros foram queimados na praça do mercado, depois de mandarem confiscar por um arauto todos os exemplares de cada um de seus possuidores.

A sua filosofia está baseada no pensamento de Heráclito, um filósofo pré-socrático, que problematiza a questão de Devir, mas eu não quero expor as suas idéias, nem os conceitos de nenhum filósofo, mas o meu objetivo é refletir se esta frase não está mais viva do que nunca em nossos corações.

Não quero levar a fundo os critérios da filosofia ou fazer um tratado sobre a tal frase, mas refletir sobre ser a medida de todas as coisas nos dias de hoje.

Você é a medida de todas as coisas? O que podemos entender sobre ‘todas as coisas”?


Estas “coisas”, pode ser tudo, desde as qualidades opostas até as vontades e opiniões (Logoi), isto é, TUDO!


Se o homem é a medida de todas as coisas, o seu critério é absoluto, é a “medida”, é a moderação do que é e não é, o homem é o que diz que funciona ou não funciona,

Este homem transpõe a qualquer medida anterior ou verdadeira para divulgar suas leis, regras e opiniões devem ser obedecidas, atendidas e passam valer e ser verdades absolutas do que é ou não é, do que pode dar certo e do que não pode.


Por mais que o homem criou diversas técnicas para qualquer situação, nem sempre estas técnicas são boas ou ruins, são excelentes e devem ser estabelecidas para todas as ocasiões iguais ou semelhantes. Para alguns pode servir, para outros, não.


O que nos falta é harmonizar estas técnicas com cada situação vivida em nosso meio e não tentar colocar em todas as ocasiões receitas de bolos devido o homem acreditar e achar que ela é a melhor possível.


Algumas podem dar certo, ou trás não, o costume e a cultura pode ser relevante para que um jeito ou técnica de certo em uma igreja ou comunidade. Lembro que alguns livros dão o que exatamente alguns pastores devem fazer para que a sua igreja seja um sucesso.

Nas livrarias evangélicas o homem como medida de todas as coisas pode ser realidade, as experiências e técnicas empresarias podem ser “todas as coisas” que devem ser obedecidas para o sucesso.


O homem como medida de todas as coisas é uma grande realidade em muitos círculos evangélicos, em muitos ministérios, na vida diária de alguns cristãos.


Nós temos a tendência de colocar aos nossos irmãos que nós somos a medida para todas as coisas, mas como?


Sempre queremos fazer das gerações que estão por vir, homens como nós. As nossas sensações, os nossos pensamentos, as nossas estratégias, a nossa técnica de fazer seja lá o que, deve ser copiadas. Chego à seguinte conclusão, alguns pensam que : ‘ A sua vida é a medida para as coisas terem sucesso” ." Se os meus pupilos fizerem o que eu mando, eles terão sucesso".


Estamos propicio para colocar as nossas vontades em primeiro lugar, se não for do jeito que eu digo que é, e se houver um erro, apontamos o diferente como culpa do fracasso.


Nos colocamos como o “EU SOU”, mas na Bíblia encontramos apenas um: “EU SOU”. (Êxodo 3v.14).


Jesus é a medida de todas as coisas, daquelas que são e não são, daquelas que existiram e vão existir. É Nele que devemos manifestar a nossa vontade, seus ideais devem ser o correto, a sua postura deve ser copiada e ser a nossa medida para todas as coisas, e não o homem.

Se eu escolhi viver em Cristo, estou crucificado com Cristo, se estou crucificado, as minhas escolhas, os meus pensamentos, as minhas opiniões ou vontades devem estar debaixo da vontade do Senhor.

Eu deixo de ser a balança de julgamento e dou lugar a Cristo, dou lugar a que Cristo acha e não o que acho. Se busco ter uma vida cristã, eu não posso deixar que as minhas vontades sejam maiores do que as de Cristo.

“Não vivo mais eu, mas Cristo Vive em Mim”.


Gálatas, 2:20 "Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim."


Então, o homem como ser individual, como superior a todos, como paracleto, como a ponte que liga a realização ao sucesso não existe!

O que existe é a ponte que ligou o homem a Deus – Jesus – que proporciona o sucesso, seja com quem for, seja do jeito que é ou deva ser, da forma “a” ou ‘b’. Se nos colocamos como “a medida de todas as coisas” – não somos cristãos, mas apenas SOFISTAS.

Nenhum comentário: